O QUE É O CLUBE SANTO?

clube santo

 No ano de 1729, na Universidade de Oxford, Inglaterra, um grupo de estudantes cristãos, passam a se reunir regularmente para fazer orações, leituras, visitas e estudos, no contexto da Universidade de Oxford. O próprio John Wesley lembra pontualmente as origens do Clube Santo: “Em novembro de 1729, data em que fui residir em Oxford, meu irmão, outros dois jovens cavalheiros e eu fizemos um acordo de nos reunirmos três ou quatro vezes por semana. Nos domingos à noite, líamos sobre teologia, e nas outras noites, os clássicos gregos e latinos” [Cf. J. Wesley, Obras de Wesley, Tomo V]. Livros como A Imitação de Cristo de Tomas de Kempis e O Viver e o Morrer Santo de Jeremy Taylor desafiaram estes jovens a uma vida de consagração a Deus. O grupo, além dessas reuniões, visitava frequentemente os presos de Castillo. Não demoraram a perceber outras necessidades ao redor e passaram assim a visitar pessoas enfermas e a comungar com a maior frequência possível. Diante da necessidade de três famílias pobres, o grupo passou a prestar-lhes auxílio, conforme a possibilidade de cada um [Cf. J. Wesley, Obras de Wesley, Tomo V]. O grupo nunca cresceu muito, variando entre 10 a 15 membros, com um máximo de 25.

Este grupo ficou conhecido jocosamente pelos colegas universitários de “Clube Santo”, e alguns alunos, notando que os membros do grupo tinham horário e método para tudo que faziam, daí os tacharam como “metodistas”. Entre os jovens que integravam este grupo estava Charles Wesley, irmão de John Wesley, foi quem de fato iniciou o Clube Santo o conhecido homem do coração dançante que compôs cerca de 9.000 hínos e poemas, sobre ele é dito que “foi o maior compositor da igreja”, também George Whitefield que por falta de recursos financeiros foi designado como servo de um maior número de estudantes classificados. Seus deveres incluiriam acordá-los na parte da manhã, polir os seus sapatos, carregando seus livros e até mesmo fazer o seu curso. Todavia esse “bolsista” ajudou a espalhar o Grande Despertar na Grã-Bretanha e, principalmente, nas colônias britânicas norte-americanas. Seu ministério teve enorme impacto sobre a ideologia americana. Repetidas vezes, ele teve de pregar fora dos portões do templo pelo simples fato de sua pregação apaixonada ser muito distante da usual formalidade dos pastores daquele tempo. Ele chegou a ser agredido em algumas ocasiões. Na cidade de Basingstoke, por exemplo, foi espancado a pauladas. Em Moorfield, destruíram a mesa que lhe servia de púlpito. Em Exeter, durante uma pregação para dez mil pessoas, Whitefield foi apedrejado. Nada, porém, podia conter aquela mensagem. A influência de Whitefield cresceu de tal forma que ele era capaz de manter atentas 20 mil pessoas, encantadas com seus sermões, por mais de duas horas. Durante 34 anos, a voz de George Whitefield ressoou na Inglaterra e América do Norte. Era um evangelista agressivo que cruzou o Oceano Atlântico 13 vezes a fim de proclamar a salvação também na América. Ele se tornou o pregador favorito dos mineiros de carvão e dos valentões de Londres porque ia até eles em vez de esperá-los dentro das igrejas.

Fonte: Blog Clube Santo

Anúncios

Sobre Anderson Cássio de Oliveira

Líder do ministério Missão Com Cristo, avivalista apologético, trabalha principalmente com ensino, discipulado e serviço cristão, voltados a levar a Igreja do Senhor a um avivamento genuíno (com base nas Escrituras). Administrador do blog de missões - Chamado para as Nações.
Esse post foi publicado em Missionários que marcaram e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s